28 de fev de 2011

pérola: 'A galinha e a minhoca'.

"Era um dia tranquilo no pátio. A Galinha passeava ao redor. À procura de algo para co­mer. Bem naquele momento, de seu buraco na terra, a Minhoca decidiu dar uma olhadinha para fora. Esticou a cabeça e olhou bem nos olhos da Galinha.

— Ei, pare! — exclamou a Minhoca ainda a tempo. Pois a Galinha já se curvava para a frente a fim de arrastar a Minhoca para fora de seu buraco.

— Como é que é? — disse a Galinha.

— Eu não sou o que você pensa que eu sou — explicou a Mi­nhoca.

— Como? – repetiu a Galinha.

— Eu não sou uma minhoca – mentiu a Minhoca.

— Ah, é? – disse a Galinha.

— É! — afirmou decidida a Minhoca.

A Galinha se endireitou novamente e olhou espantada para a Minhoca.

— E isso mesmo – repetiu a Minhoca. – Eu não sou uma mi­nhoca.

— Como é então que você se parece tanto com uma minhoca? — perguntou a Galinha.

— Isso acontece — explicou a minhoca —, isso acontece porque você pensa que eu sou uma minhoca. E quem pensa muito em alguma coisa, acaba acreditando nela.

A Galinha olhou um pouco desconfiada para a Minhoca. Ela não sabia bem o que pen­sar sobre isso. E, portanto, também não sabia no que acreditar. Em todo caso, ela jamais tinha encontrado uma minhoca que falava como a Minhoca.

— É a mais pura verdade – insistiu a Minhoca -, ou será que você não acredita em mim?

A Galinha manteve a cabeça um pouco inclinada e olhou com um olho só para a Mi­nhoca. Como se pudesse vê-la melhor assim.

- Se você não acredita em mim – disse logo em seguida a Minhoca – então é porque não está pensando o suficiente que eu não sou uma minhoca. Talvez as galinhas não saibam pensar muito…

Aí a Galinha se ofendeu.

- Eu acredito! — disse ela, cordata.

- Então você acredita que eu não sou uma minhoca? — per­guntou a Minhoca para ter mesmo certeza.

- Você não é uma minhoca! – afirmou a Galinha de olhos fechados.

A Minhoca respirou aliviada.

- Mas então o que você é? – perguntou a Galinha, curiosa. E se aproximou perigosa­mente da Minhoca com seu bico.

— Bem… — hesitou a Minhoca. E pensou em tudo o que as galinhas gostavam. — Bem… — disse de novo.

— Nem você sabe! – cacarejou a Galinha. – Você é uma tola! Uma grande tola! – E continuou seu passeio de cabeça erguida.

— Eu sou uma minhoca — gritou a Minhoca. — Você está me ouvindo? Eu sou uma minhoca grande e gorda!

Mas a Galinha não estava mais ouvindo…".


vi aqui: Blog Filosofia e Vida

8 de fev de 2011

SPAMtando meu ócio criativo!



Pessoal, quero justificar minha falta de postagem para os próximos dias. Talvez meses.

Acontece que ontem fui sorteado e ganhei um Ipad e não tenho tempo para mais nada. Agora passo a noite e o dia mexendo nele... É, tive muita sorte.

na minha cidade...



Na minha cidade, as pessoas são agitadas, estressadas; fazem filas para pegar a escada rolante, onde seria bem mais rápido pegar a escada ao lado, enquanto reclamam que não têm tempo e/ou dinheiro para fazer academia.

Na minha cidade, tem todo tipo de gente, principalmente nas estações de metrô e trem. Em um dia, você sempre encontra uma mulher grávida, um cara com cabelo verde e espetado, uma figura com uma bíblia na mão e palhaço vestido de gente.

Na minha cidade, tem muita coisa diferente. Mas, analisando melhor, o rosto são outros, mas lágrima que derrubamos é a mesma. O esforço também. Na minha cidade, não tem muita coisa diferente de outros lugares. Aqui chove, faz calor; e quem é daqui mesmo reclama muito... e reclama mesmo. Essa é uma das experiências que absorvi: todo mundo reclama da cidade que mora. Impressionante.

5 de fev de 2011

experimente o perdão.

Algumas coisas são bem mais gratificantes do que um sorriso ou aquela porção de queijo no bar com os colegas.

Se você é do tipo: "ele não merece meu perdão", pare com isso. Num mundo onde a vida já é dura com todos, não se sinta rebaixado por perdoar alguém. É uma sensação até gostosa esse ato.

Você vive reclamando o absurdo que é ter apenas coxinha de carne, quando não se lembra que semana passada você exigiu até que o suco viesse sem canudo, e agora você vem me falar sobre perdão e compreensão?! Você vive renegando seus conceitos sobre a vida, e nunca parou pra pensar que em algum momento de sua existência, você também foi falso com alguém... Se bobear, você um dia encontra essa pessoa na rua e vê em seus olhos que ela já esqueceu... Ou ainda, ela fica felicíssima de te ver, e ainda te oferece um tríndent.

A vida tem dessas coisas. Nunca pense que tardiamente você está só. Em algum momento de sua vida, você vai achar que perdeu o eixo... Você procura atrás da porta, embaixo de sua cama, de outras camas, e não encontra. Talvez esse ponto principal que você acha que perdeu, está dentro de você... É aquela vontade, quase uma necessidade, de recolher sentimentos perdidos e voltar no tempo, já que agora você acha que não tem mais saída.

Algumas pessoas falam muito. Eu não gosto quando alguém interrompe meus pensamentos, quando estou concentrado numa postagem que talvez sairá em meu blog, e puxa um papo comigo no elevador. Eu consigo perdoar essa pessoa, embora eu não a entenda... Será que ela não percebe em meu rosto, que estou justamente ocupado com algo mais útil do que falar sobre o tempo ou sobre a demora em algum canto no mundo?

Estamos vivenciando hoje, algo que remotamente aconteceu. Se o passado e o futuro não existe, então o presente também não... Porém, o passado também é importante, porque sem ele não existiria o futuro, e você não se lembraria do presente que dei naquele dia chuvoso... Tá. Eu sei que você achou ridículo aquela meia listrada... Mas você sabe minhas intenções... E achou fofo, eu sei.

Quando você aprende a perdoar, você tem o perdão de outras pessoas. A vida é um coisa assombrosa que toca a gente de maneiras incríveis... Veja só, tudo que você faz, volta... Até aquela carta que não retornou, um dia volta.... De outro jeito, mas você irá ler.

Assim é a vida. Portanto, é muito mais gostoso perdoar quanto ser perdoado. Muito mais do que aquela porção de queijo que você compartilha com os colegas no seu fim de semana, enquanto discutem a posição do vento; é muito mais gratificante do que um sorriso. Pois um sorriso, não vem sempre necessariamente de alguém que esta a seu lado.

notícia que mudou minha visão de mundo - ou - um bom exemplo de vida.

Americano aquece pelicano com secador de cabelo

Eu, cansado de notícias banais e repetitivas, como meditar sobre o número de novas mortes das enchentes do mundo, resolvi procurar algo novo na internet.

Sintam a sutileza em sua poesia. Clique na imagem abaixo ou no link acima.



fonte da imagem e notícia: g1.

2 de fev de 2011

devolvam o Século XX.



Homem foi à lua mas ainda não conhecemos a nós mesmos e deixamos de cumprimentar nosso vizinhos.

Antes de você encaminhar novamente aquele e-mail que diz que você é da época em que o Big Mac era R$5,00, lembre-se que também já foi da época em que andávamos descalço na rua e fazíamos amizades com a vizinhança. Hoje, você abordar alguém na rua é algo estranho.

Eu sempre joguei Mega Drive, Super NES, no modo hard, hoje procuro jogar a vida nesse nível também.

É difícil imaginar que numa era tão digital, com tanta informação e meios comunicação, nos sentimos mais solitários.

O que sinto falta mesmo é de viver uma "comédia romântica", sem players.