30 de set de 2010

sê você mesmo.

Um dos maiores segredos da humanidade é a prática da simplicidade. Para um bom atendimento, quanto mais complicado e número de protocolos gerados sem necessidade, mais eficiente é. Pelo menos parece que as coisas funcionam assim nesse universo.

Se as coisas fossem mais simples seriam mais fácies; e por haver tanta preocupação em renovar, desnecessariamente e abusadamente, acabam não achando a solução e avacalhando nos relacionamentos sociais e comerciais.

A ideia do "Nevermind" é boa: viver sem se preocupar. Fazer tudo sem ficar mirabolando falsas polêmicas às vezes é legal.

Chegará a época em que a ironia será vista de uma maneira ultrapassada e atrasada; o mundo será das pessoas que falam sobre tudo mas de uma maneira sensata.

Cheguei a conclusão de que, para eu ter nascido, é porque existem pessoas que pensam como eu num mundo como o meu, mesmo que eventualmente imaginário.

"Porra vizinho, onde está a guerra?".

3 comentários:

Juliana Lima disse...

"Porra vizinho, onde está a guerra?"

Como posso ser eu mesmo se o mundo não me deixa descobri quem sou? Sou a cara jovem que vejo no espelho, com batom rosa que está na moda e unhas verdes estranhas que todo mundo usa e que me diz que tenho estilo?
Não vizinho!!! Não sou social!!! Não sou a destruição pós-estruturalista de algo desconhecido...
Eu sou eu, na autencicidade existencial de minha existencial... Eu sou eu complexamente, não encontro simplicidades em minhas burocracias. Sou deveras estranha, confusa e obscura, mas não tento ligar a luz por puro tentar, ligo por que preciso enxergar.

"A ideia do "Nevermind" é boa: viver sem se preocupar." - Será que tem como vizinho? Como assim não se preocupar, se me preocupo até em ver se chão está ali antes de pisar?

É vizinho, meu professor sempre me diz "Seja você mesmo porque assim talvez você me ajude a eu saber quem eu sou."

Porra vizinho, continuemos filosofando!
=)

Ah! nessa era "touch" já não temos a necessidade de apontar lápis! rsrsrs

Scarlat Assunção. disse...

adorei o blog.
E eu concordo que a simplicidade é o caminho.
Estou seguindo, Parabéns!
http://drogas-alternativas.blogspot.com/

Juliana Lima disse...

"Porra vizinho, onde está a guerra?"

Como posso ser eu mesmo se o mundo não me deixa descobri quem sou? Sou a cara jovem que vejo no espelho, com batom rosa que está na moda e unhas verdes estranhas que todo mundo usa e que me diz que tenho estilo?
Não vizinho!!! Não sou social!!! Não sou a destruição pós-estruturalista de algo desconhecido...
Eu sou eu, na autencicidade existencial de minha existencial... Eu sou eu complexamente, não encontro simplicidades em minhas burocracias. Sou deveras estranha, confusa e obscura, mas não tento ligar a luz por puro tentar, ligo por que preciso enxergar.

"A ideia do "Nevermind" é boa: viver sem se preocupar." - Será que tem como vizinho? Como assim não se preocupar, se me preocupo até em ver se chão está ali antes de pisar?

É vizinho, meu professor sempre me diz "Seja você mesmo porque assim talvez você me ajude a eu saber quem eu sou."

Porra vizinho, continuemos filosofando!
=)

Ah! nessa era "touch" já não temos a necessidade de apontar lápis! rsrsrs

Postar um comentário

Sinta-se a vontade.

Comentários paralelos, como "discussões", assuntos que não têm a ver com o blog, serão excluídos.

Comentários engraçados também são bem vindo! =)