16 de ago de 2010

o dia de ontem.

Mais um dia na cama, e mais um boa noite para minha alma confortante que deseja a morte em silêncio por medo de pequenos mistérios e uma covardia inexplicável do que é "viver".

Não seja vítima de minhas palavras, e também não me interprete ao pé da letra, já que me faltam palavras e expressões que seriam mais fiéis ao que quero dizer.

Quando tomava banho, eu briguei com o tempo e tentei me convencer que obtive pequenas grandes conquistas em minha vida. O "poder" que eu gostaria de ter, é uma parte de minha adolescência que ainda resta em mim.

"Onde estão meus amigos?" - eu me perguntei ao passar o sabonete debaixo do braço esquerdo, com a testa franzida. Meus pensamentos foram interrompidos ao ouvir a tv extremamente alta, que pensei que fosse do vizinho. Desliguei o chuveiro e tentei me lembrar sobre o que eu estava pensando.

Mais uma briga com meu travesseiro; mais uma noite que dormirei solitário e angustiado. Estou cansado de questionar tanto e não obter respostas. E assim sempre será, como o dia de amanhã, e o dia de ontem.

4 comentários:

Os 10Temidos disse...

Questionamentos surgem no nosso dia-a-dia,quando fazemos as coisas mais banais...
Mais por que?Olhe de novo...kkkkkk

Rita disse...

Este dia de ontem até q foi bom. Outros piores virão. Questionar é tudo que sabemos.

Ana Clara Queiroz disse...

Piores viram, mas sem a certeza de amanhã, talvez amanhã nem exista, é melhor viver HOJE, porque ontem já passou e amanhã talvez não chegue.

Ana Clara Queiroz disse...

Piores viram, mas sem a certeza de amanhã, talvez amanhã nem exista, é melhor viver HOJE, porque ontem já passou e amanhã talvez não chegue.

Postar um comentário

Sinta-se a vontade.

Comentários paralelos, como "discussões", assuntos que não têm a ver com o blog, serão excluídos.

Comentários engraçados também são bem vindo! =)